Sindicalistas ocupam a câmara, impedem votação de moção e cidade quase perde R$ 4,1 milhões para a saúde – FM 102.7 Mhz – A Gigante Do Rádio | Santa Maria – RS
loading...

Sindicalistas ocupam a câmara, impedem votação de moção e cidade quase perde R$ 4,1 milhões para a saúde

0 3

A ocupação do Plenário da Câmara de Vereadores de Santa Maria, durante a sessão dessa terça-feira (4), quase trouxe consequências graves para a saúde de Santa Maria. Representantes de sindicatos impediram a votação de uma moção, de autoria do vereador João Kaus (MDB), a favor do projeto Escola Sem Partido. A sessão teve de ser suspensa. A Guarda Municipal e Batalhão de Operações Especiais (BOE) foram acionados para garantir a segurança no entorno do Legislativo.

A Mesa Diretora da Casa Câmara reuniu os representantes das entidades e explicou que, caso a sessão não fosse retomada, não haveria tempo hábil para retomar os trabalhos, votar e liberar R$ 4,1 milhões do orçamento da Câmara para que a Prefeitura pudesse garantir a continuidade dos serviços da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu), 13º salário dos servidores da secretaria de Saúde, e contratação de cinco mil consultas via Consórcio Intermunicipal de Saúde.

Com a liberação do plenário foi aberta uma sessão extraordinária e o repasse do recurso ao Executivo pôde ser votado e aprovado pela unanimidade dos vereadores.

OUÇA A REPORTAGEM COMPLETA

Já a moção a favor do projeto Escola sem Partido será colocada novamente em pauta na sessão desta quinta-feira (6). De acordo com o presidente em exercício da Câmara, vereador Adelar Vargas (MDB), o Bolinha, o acesso ao plenário será restrito a 80 senhas que serão distribuídas pelo período da manhã (40 a favor e 40 contra a moção). A brigada Militar também foi chamada para garantir a segurança no entorno da Casa Legislativa.

O projeto Escola sem Partido é um movimento formado sobretudo por pais e estudantes em defesa de uma educação escolar neutra. Também é uma iniciativa que busca estabelecer os deveres e direitos dos professores em sala de aula, como forma de impedir que os docentes possam transmitir a seus alunos suas visões de mundo, ideológicas e político-partidárias.

Central de Jornalismo – Rádio Medianeira

Texto e reportagem – Fabricio Minussi (MTB 11.110)

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *