Prefeitura racionaliza o uso de combustível para evitar paralisação de serviços essenciais – FM 102.7 Mhz – A Gigante Do Rádio | Santa Maria – RS
loading...

Prefeitura racionaliza o uso de combustível para evitar paralisação de serviços essenciais

0 4

A paralisação dos caminhoneiros deflagrada na última segunda-feira (21), em todo o país, ainda não registra grande impacto na frota da Prefeitura de Santa Maria. Até a manhã desta sexta-feira (25), apenas a Secretaria de Saúde apresenta restrição parcial nos serviços (veja abaixo). A Coordenadoria de Controle de Veículos, ligada à Secretaria de Gestão e Modernização Administrativa e responsável pela frota da Prefeitura, está orientando para o uso racional de combustível em todos os setores.  A Prefeitura está exigindo – de todos os prestadores de serviços ao Município – o atendimento às demandas da população.

Secretaria de Saúde está realizando seus serviços normalmente, pois a frota foi abastecida antes do período mais crítico chegar aos postos de combustíveis. Assim, o deslocamento das ambulâncias e o transporte de pessoas para consultas e exames de urgência, fora do Município, estão ocorrendo normalmente. Apenas as visitas domiciliares a pacientes acamados e o transporte de pessoas para exames, dentro do perímetro urbano, e que não exigem urgência, estão temporariamente suspensas. Por determinação do prefeito Jorge Pozzobom, os veículos utilizados para as demandas do surto de Toxoplasmose não vão parar.

Na Educação, até o momento, nenhuma das empresas terceirizadas que prestam serviço de transporte escolar comunicou paralisação. De acordo com a Secretaria de Município da Educação, os alunos estão sendo transportados normalmente.

Da mesma forma, a segurança patrimonial e nas áreas públicas também estão dentro da normalidade. De acordo com a Superintendência da Guarda Municipal (GM), a orientação é para o uso racional do combustível, de forma preventiva. No entanto, mesmo que as viaturas não tenham como circular, a GM segue garantindo a segurança por meio de rondas a pé.

Na Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos a rotina não foi alterada. As máquinas que utilizam óleo diesel foram abastecidas, assim como as viaturas à gasolina. Até a manhã desta sexta, os serviços estão ocorrendo dentro da normalidade.

Por fim, na Secretaria de Meio Ambiente, as duas empresas que realizam a coleta de resíduos estiveram reunidas com a secretária Sandra Rebelato, na tarde de quinta-feira (24). A Cone Sul Soluções Ambientais, responsável pela coleta conteinerizada na área central, comunicou que a coleta de resíduos sólidos urbanos domiciliares é um serviço essencial e não poderá ser interrompida. Por isso, para evitar a suspensão total do serviço, a empresa está realizando a coleta intercalada, alternando os dias de recolhimento de lixo, pelo menos enquanto a paralisação dos caminhoneiros atingir a oferta de óleo diesel. A Sustentare – empresa responsável pela coleta domiciliar nos bairros – se comprometeu a concentrar esforços para que a prestação de serviços siga sendo realizada normalmente e não acarrete na interrupção dos serviços para a população.

TRANSPORTE PÚBLICO

Por exigência da Prefeitura, a manutenção dos horários básicos em períodos de grande fluxo de passageiros está garantida, a fim de assegurar o deslocamento aos trabalhadores e estudantes. Conforme o Consórcio Sistema Integrado Municipal (SIM-SM), até as 14h desta sexta-feira (25), os horários de ônibus seguirão normais em Santa Maria. Após, haverá uma breve redução nos horários. A normalização deve ocorrer, novamente, das 16h às 19h – horário de pico. Já as linhas seletivas estão suspensas para racionalização de combustível.

No sábado (26), de acordo com SIM-SM, a frota circulará com 25% a menos de sua capacidade (Horário de verão), mas com reforços nas linhas que atendem mais gente.

No domingo (27), a grade de horários permanecerá a mesma, com poucas reduções. Já na segunda-feira (28), os ônibus atuarão normalmente até as 8h30min. Após este horário, novas análises serão feitas.

As alterações, explicou o consórcio, é devido à paralisação dos caminhoneiros, que afetou a distribuição dos combustíveis na cidade.

Central de Jornalismo – Fabricio Minussi (MTB 11.110)

Texto: Ana Bittencourt (Mtb 14.265)
Foto: João Alves (Mtb 17.922)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *