SEGURANÇA. Defesa Civil interdita trecho da Rua do Acampamento e toda a Rua Dr. Turi – FM 102.7 Mhz – A Gigante Do Rádio | Santa Maria – RS
loading...

SEGURANÇA. Defesa Civil interdita trecho da Rua do Acampamento e toda a Rua Dr. Turi

0 1

No final da tarde desta sexta-feira (13), a Defesa Civil de Santa Maria interditou parte da Rua do Acampamento e fechou totalmente a Rua Dr. Turi, no Bairro Centro. A interdição levou em conta a segurança da população – já que o prédio do Colégio Metodista Centenário, que incendiou em 2007, está comprometido – e, também, a preservação do bem, que é tombado pelo Município como Patrimônio Histórico.

O motivo dos bloqueios foi porque a Justiça reconsiderou a decisão que determinou a demolição do prédio histórico do Colégio Metodista Centenário. Pela decisão judicial, o prédio não pode ser demolido neste momento – embora ofereça riscos à população que circula naquele espaço. Dessa forma, coube ao Poder Público, como medida de responsabilidade e de segurança aos cidadãos, realizar a ação de interdição das ruas até que o proprietário apresente laudos técnicos e tome as medidas necessárias para garantir a segurança no local.

“A Prefeitura sempre esteve monitorando a estrutura por meio da Defesa Civil e respeitou o direto que a Justiça deu ao proprietário do prédio de resolver a questão. Mas, foi necessário tomar estas medidas como forma de garantir a segurança da população, já que a Rua do Acampamento é uma das principais vias de Santa Maria”, disse o secretário chefe da Casa Civil, Guilherme Cortez.

No final na tarde de sexta, a instituição foi notificada pelo Executivo (clique aqui para ler a notificação na íntegra), e, em seguida, a Defesa Civil e a Secretaria de Mobilidade Urbana já iniciaram o fechamento parcial de uma via e total da outra.

Em 2007, o Colégio pegou fogo, deixando em ruínas o Edifício Eunice Andrew, construído em 1922. Já em 2015, a Prefeitura tombou os bens móveis e imóveis do Colégio Metodista Centenário. No entanto, em dezembro de 2017, a Justiça autorizou a demolição da estrutura – que havia sido solicitada pela instituição Metodista, com apoio da Prefeitura, já que a estrutura apresentava risco de desabamento.

 “O objetivo é garantir a segurança das pessoas que circulam por ali. Assim, essas medidas foram adotadas para preservar a integridade da população e para que seja realizada um estudo técnico da viabilidade do bem, que é tombado pelo Município”, explicou a procuradora-Geral do Município, Rossana Boeira.

Central de Jornalismo – Fabricio Minussi (MTB 11.110)

Texto: Maurício Araujo (Mtb 17.781)
Foto: João Alves (Mtb 17.922)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *