loading...

Móveis para a nova sede do Legislativo já estariam sendo usados na Câmara desde 2014

0 7

Os vereadores que integram a Comissão Especial que investiga a obra do novo prédio do Legislativo e o destino dos mais de R$ 130 mil em móveis adquiridos para a nova sede, suspeitam que os equipamentos comprados já foram incorporados ao patrimônio da Câmara e que parte deles já estaria estragado. A informação foi dada pelo presidente da comissão, vereador Daniel Diniz (PT), em entrevista à Rádio Medianeira nesta terça-feira (13).

O parlamentar levantou a suspeita, a partir do momento em que os móveis não foram encontrados nos almoxarifados da Prefeitura e da secretaria de Município de Infraestrutura e Serviços. Diniz disse que a comissão vai, agora, atrás de documentos que possam comprovar que os móveis adquiridos para a nova sede já haviam sido distribuídos e instalados nos gabinetes e demais setores do Legislativo, provavelmente, desde 2014. Também integram a comissão especial os vereadores Marion Mortari (vice-presidente) e Juliano Soares/Juba (relator).

CONFIRA A ENTREVISTA COM O VEREADOR DANIEL DINIZ

Histórico do mobiliário

Em 2012, foram adquiridos móveis (mesas, cadeiras, gaveteiros, armários, estantes em aço) por meio do processo licitatório Pregão Presencial 05/2012. Foram adquiridas 130 cadeiras, 63 mesas, sete gaveteiros, nove armários e 10 estantes em aço totalizando um investimento de R$ 128.962,00.

Esses móveis foram entregues à Câmara de vereadores, em 2013. Em fevereiro desse mesmo ano, foram armazenados no depósito do Almoxarifado Central da Prefeitura de Santa Maria. Em abril de 2013, os móveis começaram a ser transferidos para a Câmara. Em julho de 2013, a divisão de Patrimônio informa a Diretoria Administrativa, que estes estariam mal armazenados.

Em agosto de 2014, foi feita a transferência dos móveis do depósito do almoxarifado central para o depósito da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos. Em junho de 2015, o setor de Patrimônio notifica a Secretaria Geral do estrago em alguns móveis. Continuaram ocorrendo pequenas retiradas. Quando o último lote foi retirado, em novembro 2015, não há registro da vinda para a câmara dos bens danificados ou extraviados (26 mesas e 2 cadeiras).

Em junho de 2016, a presidência desta casa, por meio do ofício 1.569, solicita providências administrativas na averiguação do ocorrido e ressarcimento dos bens supracitados. Em julho do mesmo ano, o prefeito solicita à Câmara, que informe o valor total dos bens extraviados para ressarcimento. Todos os móveis que foram comprados em 2013, exceto os avariados e estragados, encontram-se em setores do Legislativo.

Central de Jornalismo – Fabricio Minussi (MTB 11.110)

Com informações da Câmara de Vereadores
Foto: Mateus Azevedo / CMVSM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *